val

val

Ser vencedor não é ganhar todas as batalhas, mais sim saber que esta lutando bem de todos(VAL)

Radio mix

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Video sobre dependência química

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

UMA HISTÓRIA SEM FIM


Uma história sem fim: Compulsão existe em todos os seguimentos da sociedade, até mesmo no exercício da vida pública; se somarmos as condições de cada um dos que passaram pelo poder legislativo e que perderam seus mandatos até mesmo aqueles que dedicaram mais de 20 anos de suas  vidas  a causa pública, o que tiveram  de retorno?  o que restou?  A participação, à experiência;  Contudo  na maioria das vezes a falta de reconhecimento é real,  Porém as lembranças apesar de tudo são boas, todavia é com as decepções que aprendemos, contudo só é preciso ter todo este trabalho e as passagens como experiência e poder transformar tudo isto em aprendizado, não só para os próximos passos mais para que possamos passar para outras gerações, porém  eu continuo dizendo,  pra  que vivemos,? todavia só lembra para poder concertar,  aqueles que estão em comunhão com Deus,  contudo só o seu filho Jesus nos dá o discernimento para não tornarmos a errar, pois é desta forma que o Senhor tem conduzido nossos passos e tenho a certeza que desta forma iremos chegar a tão sonhada vitória;  Sem rancor, sem mágoa e sem sentimento de culpa ou culpado,  pelo feito ou por fazer;  Por isto entendemos a forma de agir dos nossos lideres, onde muitas vezes a indiferença tem sido uma constante por tudo que tem enfrentado na vida  pública.

Par tanto só nos resta agradecer, aos que continuam acreditando, aos que ficaram pelo  caminho, e a todos de uma forma geral, porém sei que muitos por outros compromiços  deixaram de votar mais mesmo assim  ficaram decepcionados com o  resultado,  pois acreditem; Tudo em nossas vidas tem um proposito;  Deus não deixa um filho seu sem o que por ele foi designando  e se pra vida de cada um de nós foi determinado a vitória, a derrota não nos alcançará; Por tanto,  na mão do Senhor Jesus entrego meus próximos passos.

A todos  que acreditam em uma Coelho Neto melhor e mais justa, que continuem acreditando, porém pra Deus o impossível é apenas um desafio.

OBRIGADO POR TODOS ESTES ANOS:   VEREADOR VAL. “Eleição 2012”

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

ACABEI DE CHEGAR O QUE DEUS TEM PRA MIM


quinta-feira, 25 de outubro de 2012

PALAVRA DO SENHOR JESUS


GRUPO INDUSTRIAL JOÃO SANTOS IMPEDEM QUE PROJETO LUZ PARA TODOS SEJA EXECUTADO EM COELHO NETO MA,


Como dis o dito popular; alegria de pobre dura pouco, um projeto a tanto tempo sonhado mal chegou e logo foi obrigado a sua retirada por imposição do GRUPO INDUSTRIAL JOÃO SANTOS. 

Será que esta guerra de DAVI CONTRA GOLIAS se repitirá?

Hoje fui surpreendido com uma noticia que pra muitos é normal, porém pra mim continua sendo um absurdo, todavia em pleno século 21 nos deparamos com situações pra lá de alarmante, pois fiquei sabendo que em nome da empresa ITAPAGÉ, OS FUNCIONÁRIOS ANTONIO RAMOS E Sr. JAIRO, fizeram uma denuncia em uma delegacia local datada de 19/09/2012, e logo em seguida o Senhor Jairo enviou um oficio datado do dia 24/09/2012 ao escritório da CEMAR local,  solicitando de seus diretores para retirarem de imediato os postes que haviam chegado à localidade Piranhas para execução do projeto luz para todos (plpt.), do governo federal onde foi atendido de imediato  de forma atrasada e sem nem uma explicação para tal atitude; é difícil acreditar que moradores daquela localidade simplesmente por uma questão pessoal continuem sendo humilhados e ainda seja usurpado o que lhes é direito com o PLPT, PROJETO DO GOVERNO FEDERAL QUE VISA FAZER CHEGAR LUZ ELÉTRICA A TODAS AS COMUNIDADES POR MAIS DISTANTES QUE SE ENCONTREM, porém uma comunidade que mora a menos de 2 km, do centro da cidade de Coelho Neto, vive em completa escuridão e sem nenhuma estrutura básica por imposição de quem detém o titulo da terra onde na verdade quem é proprietário de fato e de direito até que se prove o contrario são os moradores que detém a posse. Alguns com mais de 20 anos que residem na localidade, outros nasceram e se criaram, todavia tantos as criança, como jovens e até deficientes e idosos são obrigados a viver em completa escuridão, por simples imposição dos coronéis que detém o titulo da terra, onde a lei de uso capitão já assegura o direito a posse do local onde mora a estas pessoas, e hoje continuam sendo humilhadas sem nem um respeito nem direito como reza a constituição brasileira.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Deus tem o melhor pra mim!!.

STF encerra votos condenando Dirceu e mais 9 por quadrilha



22 de outubro de 2012 20h18 atualizado às 21h25
O presidente da Corte, Carlos Ayres Britto, chega ao plenário do STF para a 39ª sessão sobre o mensalão. Foto: José Cruz/Agência Brasil O presidente da Corte, Carlos Ayres Britto, chega ao plenário do STF para a 39ª sessão sobre o mensalão
Foto: José Cruz/Agência Brasil
Fernando Diniz
Direto de Brasília
Depois de mais de dois meses, o Supremo Tribunal Federal (STF) concluiu nesta segunda-feira a análise da última fatia do julgamento do mensalão com maioria para condenar o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e outros nove pelo crime de formação de quadrilha. Seis dos atuais dez ministros deixaram claro na sessão de hoje que o homem forte do primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva se associou a outras pessoas para cometer crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, peculato, gestão fraudulenta e evasão de divisas.
Confira o placar do julgamento voto a voto
Conheça o destino dos réus do mensalão
Saiba o que ocorreu no julgamento dia a dia
Conheça quem são os 38 réus do mensalão
Defensores de Cachoeira e Carolina Dieckmann atuam no mensalão
De lanche gigante a calcinha antifurto: veja o que o mensalão inspirou
Mensalãopédia: conheça os personagens citados no julgamento
Mensalão Kombat: veja as 'batalhas' entre Barbosa e Lewandowski
Seis ministros entenderam que a associação do núcleo político (Dirceu, Delúbio Soares e José Genoino) com os núcleos publicitário (grupo de Marcos Valério) e financeiro (ligado ao Banco Rural) configuraram crime de quadrilha ou bando, com pena prevista de um a três anos de prisão. Apesar da pena ser considerada pequena, a condenação mostra que os réus agiram em conjunto para praticar delitos contra a administração pública, com objetivo de comprar apoio parlamentar no Congresso. Foram absolvidas as rés Ayanna Tenório e Geiza Dias. O placar quanto a Vinícius Samarane ficou empatado.
"É esse tipo de aliança política e parlamentar que o direito execra, excomunga. O que nós estamos aqui julgando é um modo espúrio, criminoso, de fazer política", disse o presidente do STF, Carlos Ayres Britto, último a votar nesta noite. Durante o voto, o ministro também minimizou o envolvimento do ex-presidente do PT, José Genoino. "A participação de Genoino me pareceu bem menos expressiva que a de outros autores. No próprio núcleo publicitário não vai faltar quem miniminize a participação dos sócios de Valério", disse.
A análise do crime de quadrilha foi uma das mais divididas do julgamento. Votaram pela condenação o relator Joaquim Barbosa e os ministros Luiz Fux, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Celso de Mello e Carlos Ayres Britto. No sentido contrário, votaram pela absolvição de todos os réus o revisor Ricardo Lewandowski, e os ministros Rosa Weber, Cármen Lúcia e Dias Toffoli.
Para absolver, Lewandowski recorreu na semana passada a uma interpretação citada pela ministra Rosa Weber em outra fase do julgamento. Ela entende que o crime, citado no Código Penal nos delitos contra a paz pública, não caberia no que ela enxergava como uma coautoria de agentes. Alguns ministros foram enfáticos ao dizer que a paz pública foi abalada. "A paz social fica abalada pelo menos em termos de credibilidade das instituições pátrias", disse Marco Aurélio durante seu voto.
Apesar dos ministros terem concluído os itens da denúncia, o julgamento ainda não terminou devido às questões polêmicas que o STF ainda tem pela frente, como o desempate, a cassação de mandatos e a dosimetria das penas.
Até o momento, os empates beneficiam sete réus: quatro por lavagem de dinheiro (situação dos ex-deputados José Borba, Paulo Rocha, João Magno e do ex-ministro Anderson Adauto) e três por formação de quadrilha (Valdemar Costa Neto, Jacinto Lamas e Vinicius Samarane). A questão sobre os empates será definida ao final do julgamento, quando será feita a proclamação do resultado. Isso ocorre porque, "teoricamente", todos podem mudar o voto até o final das atividades.
Os ministros estão divididos sobre o que deve ser feito. Há possibilidade de o empate favorecer o réu, seguindo o princípio do processo penal. Há ainda chance de que o presidente dê o voto de "qualidade", para decidir o futuro do acusado. Também é possível que se aguarde a chegada de Teori Zavascki, o 11º ministro, que já foi indicado pela presidente Dilma Rousseff.
Em relação à dosimetria, Ayres Britto afirmou mais cedo que talvez não haja a necessidade do "voto de qualidade" da presidência. Ele se manifestou a favor do princípio do "in dubio pro reo" - caso em que o empate opera em favor do réu -, mas deixou em aberto a possibilidade de "refluir" durante o debate. O "in dubio pro reo" é visto como a única solução para o desempate pelos advogados de defesa.
Já o ministro Marco Aurélio Mello afirmou em entrevistas que acredita que o preceito só se aplicaria em julgamentos de habeas-corpus. Na semana passada, o decano Celso de Mello disse não acreditar em uma conclusão da fase de dosimetria nesta semana, como quer o relator, Joaquim Barbosa.
Antes da dosimetria, o Supremo precisa decidir se os ministros que absolvem participam ou não da definição das penas. Além disso, a Corte deve definir o que fazer com o mandato dos deputados condenados no julgamento.
O mensalão do PT
Em 2007, o STF aceitou denúncia contra os 40 suspeitos de envolvimento no suposto esquema denunciado em 2005 pelo então deputado federal Roberto Jefferson (PTB) e que ficou conhecido como mensalão. Segundo ele, parlamentares da base aliada recebiam pagamentos periódicos para votar de acordo com os interesses do governo Luiz Inácio Lula da Silva. Após o escândalo, o deputado federal José Dirceu deixou o cargo de chefe da Casa Civil e retornou à Câmara. Acabou sendo cassado pelos colegas e perdeu o direito de concorrer a cargos públicos até 2015.
No relatório da denúncia, a Procuradoria-Geral da República apontou como operadores do núcleo central do esquema José Dirceu, o ex-deputado e ex-presidente do PT José Genoino, o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares, e o ex- secretário-geral Silvio Pereira. Todos foram denunciados por formação de quadrilha. Dirceu, Genoino e Delúbio respondem ainda por corrupção ativa.
Em 2008, Sílvio Pereira assinou acordo com a Procuradoria-Geral da República para não ser mais processado no inquérito sobre o caso. Com isso, ele teria que fazer 750 horas de serviço comunitário em até três anos e deixou de ser um dos 40 réus. José Janene, ex-deputado do PP, morreu em 2010 e também deixou de figurar na denúncia.
O relator apontou também que o núcleo publicitário-financeiro do suposto esquema era composto pelo empresário Marcos Valério e seus sócios (Ramon Cardoso, Cristiano Paz e Rogério Tolentino), além das funcionárias da agência SMP&B Simone Vasconcelos e Geiza Dias. Eles respondem por pelo menos três crimes: formação de quadrilha, corrupção ativa e lavagem de dinheiro.
A então presidente do Banco Rural Kátia Rabello e os diretores José Roberto Salgado, Vinícius Samarane e Ayanna Tenório foram denunciados por formação de quadrilha, gestão fraudulenta e lavagem de dinheiro. O publicitário Duda Mendonça e sua sócia, Zilmar Fernandes, respondem a ações penais por lavagem de dinheiro e evasão de divisas. O ex-ministro da Secretaria de Comunicação (Secom) Luiz Gushiken é processado por peculato. O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato foi denunciado por peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
O ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha (PT-SP) responde a processo por peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A denúncia inclui ainda parlamentares do PP, PR (ex-PL), PTB e PMDB. Entre eles o próprio delator, Roberto Jefferson.
Em julho de 2011, a Procuradoria-Geral da República, nas alegações finais do processo, pediu que o STF condenasse 36 dos 38 réus restantes. Ficaram de fora o ex-ministro da Comunicação Social Luiz Gushiken e do irmão do ex-tesoureiro do Partido Liberal (PL) Jacinto Lamas, Antônio Lamas, ambos por falta de provas.

VÍDEO PROIBIDO JÔ SOARES.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

A fé me levará ao caminho traçado por Deus


“Toda história tem começo meio e fim”, a minha esta apenas começando, porém é muito trabalho, muita conquista para serem levados ao esquecimento, todavia o que foi feito ninguém poderá apagar, e o que precisa ser feito com certeza precisará da minha da sua da nossa participação, por tudo isto quero dizer que estarei sempre aposto ao chamamento popular, contudo se não houver, sei que é chegado o fim. Por isto sei que ainda serei muito solicitado e aqueles que por algum motivo não acreditou; sentirá a falta, Mesmo que em silêncio, porém nem todos tem a hombridade de aceitarem o erro e pedir desculpas, por isto confesso se errei foi tentando acertar.

vc repórter: homem atira e fere 3 em São Paulo; polícia cerca casa


19 de outubro de 2012 • 08h30 atualizado em 19 de outubro de 2012 às 08h30

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Lewandowski muda voto e empata julgamento de Costa Neto


18 de outubro de 2012 18h26 atualizado às 19h58

Ricardo Lewandowski mudou de posição e acabou gerando empate na votação sobre Valdemar Costa Neto. Foto: Carlos Humberto/SCO/STF /Divulgação Ricardo Lewandowski mudou de posição e acabou gerando empate na votação sobre Valdemar Costa Neto
Foto: Carlos Humberto/SCO/STF /Divulgação

Gustavo Gantois
Direto de Brasília
Além de absolver o ex-ministro José Dirceu e outros 12 réus acusados de formação de quadrilha, o ministro Ricardo Lewandowski também alterou o voto proferido sobre o item seis da denúncia do mensalão. O revisor do processo, que há duas semanas havia condenado cinco réus pelo crime, decidiu absolvê-los. Com isso, o deputado federal Valdemar Costa Neto (PR-SP) e o ex-tesoureiro do PL (atual PR) Jacinto Lamas foram beneficiados pelo empate e podem escapar da prisão.
Confira o placar do julgamento voto a voto
Conheça o destino dos réus do mensalão
Saiba o que ocorreu no julgamento dia a dia
Conheça quem são os 38 réus do mensalão
Defensores de Cachoeira e Carolina Dieckmann atuam no mensalão
De lanche gigante a calcinha antifurto: veja o que o mensalão inspirou
Mensalãopédia: conheça os personagens citados no julgamento
Mensalão Kombat: veja as 'batalhas' entre Barbosa e Lewandowski
Lewandowski destacou em sua fala o voto proferido pelas ministras Rosa Weber e Cármen Lúcia, que já haviam absolvido os cinco acusados. Para o revisor, não haveria provas de que os acusados se associaram para cometer uma série de crimes, como sustenta o Ministério Público. Citando Rosa, Lewandowski disse que quadrilha é a estrutura que causa perigo para a sociedade e tem como objetivo praticar crimes indeterminadamente. "Entendo, como bem disse a ministra Rosa, que houve aqui mera co-autoria, ainda que envolvendo a prática de vários crimes", afirmou Lewandowski.
Com a alteração no voto, o ministro acabou livrando Costa Neto e Lamas da condenação. Na opinião dos ministros Joaquim Barbosa, Luiz Fux, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Ayres Britto, os dois teriam se associado a um grupo com a intenção de cometer crimes. Lewandowski se juntou ao entendimento de Rosa Weber, Cármen Lúcia, Dias Toffoli e Marco Aurélio Mello pela absolvição.
Até então, apenas quatro réus haviam recebido número igual de votos, gerando um impasse que será discutido na semana que vem, antes da definição das penas - a chamada dosimetria. Entre os integrantes da Corte, é praticamente consenso que o empate deverá beneficiar o réu. Isso porque o presidente do Supremo, Ayres Britto, tem dado sinais de que não pretende proferir o chamado voto de qualidade em uma ação penal.
Além de Costa Neto e do ex-assessor Jacinto Lamas, foram absolvidos pelo ministro o ex-deputado do PP Pedro Corrêa, o ex-assessor João Claudio Genu e o empresário Enivaldo Quadrado.
Exagero
Em uma crítica direta à atuação do Ministério Público no processo, Lewandowski afirmou que o órgão tem extrapolado em sua função de pedir a condenação de suspeitos de formação de quadrilha. Para o ministro, os procuradores têm agido dessa forma na intenção de aumentar as penas, consideradas por eles, segundo o revisor, como "tênues ou insatisfatórias".
"Essa verdadeira miscelânea acusatória do Ministério Público enfraqueceu sobremaneira as imputações assacadas contra os réus, especialmente José Dirceu. Tenho observado que o Ministério Público, toda vez que apresenta uma denúncia em que crimes são praticados por mais de quatro agentes, automaticamente essa regra já imputa aos acusados a formação de quadrilha. Nós, juízes, precisamos separar o joio do trigo", afirmou.
Para sustentar seu raciocínio crítico, Lewandowski ressaltou que a acusação citou, na denúncia e nas alegações finais, 96 vezes a palavra formação de quadrilha e 56 vezes a expressão organização criminosa. O ministro ressaltou que os dois tipos penais são diferentes, o que comprovaria a falta de base técnica e legal da acusação.
"O Ministério Público não conseguiu decidir com clareza se estava imputando aos réus o delito de formação de quadrilha, organização criminosa ou ainda associação criminosa. São figuras distintas, tratadas como crimes diferentes e com penalidades diferentes", acusou Lewandowski.
O mensalão do PT
Em 2007, o STF aceitou denúncia contra os 40 suspeitos de envolvimento no suposto esquema denunciado em 2005 pelo então deputado federal Roberto Jefferson (PTB) e que ficou conhecido como mensalão. Segundo ele, parlamentares da base aliada recebiam pagamentos periódicos para votar de acordo com os interesses do governo Luiz Inácio Lula da Silva. Após o escândalo, o deputado federal José Dirceu deixou o cargo de chefe da Casa Civil e retornou à Câmara. Acabou sendo cassado pelos colegas e perdeu o direito de concorrer a cargos públicos até 2015.
No relatório da denúncia, a Procuradoria-Geral da República apontou como operadores do núcleo central do esquema José Dirceu, o ex-deputado e ex-presidente do PT José Genoino, o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares, e o ex- secretário-geral Silvio Pereira. Todos foram denunciados por formação de quadrilha. Dirceu, Genoino e Delúbio respondem ainda por corrupção ativa.
Em 2008, Sílvio Pereira assinou acordo com a Procuradoria-Geral da República para não ser mais processado no inquérito sobre o caso. Com isso, ele teria que fazer 750 horas de serviço comunitário em até três anos e deixou de ser um dos 40 réus. José Janene, ex-deputado do PP, morreu em 2010 e também deixou de figurar na denúncia.
O relator apontou também que o núcleo publicitário-financeiro do suposto esquema era composto pelo empresário Marcos Valério e seus sócios (Ramon Cardoso, Cristiano Paz e Rogério Tolentino), além das funcionárias da agência SMP&B Simone Vasconcelos e Geiza Dias. Eles respondem por pelo menos três crimes: formação de quadrilha, corrupção ativa e lavagem de dinheiro.
A então presidente do Banco Rural Kátia Rabello e os diretores José Roberto Salgado, Vinícius Samarane e Ayanna Tenório foram denunciados por formação de quadrilha, gestão fraudulenta e lavagem de dinheiro. O publicitário Duda Mendonça e sua sócia, Zilmar Fernandes, respondem a ações penais por lavagem de dinheiro e evasão de divisas. O ex-ministro da Secretaria de Comunicação (Secom) Luiz Gushiken é processado por peculato. O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato foi denunciado por peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
O ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha (PT-SP) responde a processo por peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A denúncia inclui ainda parlamentares do PP, PR (ex-PL), PTB e PMDB. Entre eles o próprio delator, Roberto Jefferson.
Em julho de 2011, a Procuradoria-Geral da República, nas alegações finais do processo, pediu que o STF condenasse 36 dos 38 réus restantes. Ficaram de fora o ex-ministro da Comunicação Social Luiz Gushiken e do irmão do ex-tesoureiro do Partido Liberal (PL) Jacinto Lamas, Antônio Lamas, ambos por falta de provas.
A ação penal começou a ser julgada em 2 de agosto de 2012. A primeira decisão tomada pelos ministros foi anular o processo contra o ex-empresário argentino Carlos Alberto Quaglia, acusado de utilizar a corretora Natimar para lavar dinheiro do mensalão. Durante três anos, o Supremo notificou os advogados errados de Quaglia e, por isso, o defensor público que representou o réu pediu a nulidade por cerceamento de defesa. Agora, ele vai responder na Justiça Federal de Santa Catarina, Estado onde mora. Assim, restaram 37 réus no processo.

Mensagem de Deus para você!

Como viver feliz!

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Lula não sabia que estava sendo filmado

Fala comigo Senhor - legendado

lembra senhor

Arnaldo Jabor sobre Lula, Judas, Jesus Cristo e Fariseus

EXPERIÊNCIA REQUER CILÊNCIO


UM GUERREIRO DE JESUS
Foto



A experiência me diz que a hora é para reflexão, e não para falação. Se alguém não reconhece o teu trabalho, a tua amizade, ou não agradece por um trabalho que tem melhorado a sua vida, não seja ignorante como tal, continue fazendo o que sabe fazer de melhor e silêncio, esta é a melhor resposta, contudo amanhã será um novo dia. (val)

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Video palavra do senhor Jesus

João Castelo acusou o golpe…



Castelo em caminhada pelo João de Deus: desânimo
O prefeito João Castelo (PSDB) parece desnorteado.
Uma semana depois de iniciado o 2º turno em São Luís ele ainda não iniciou efetivamente a campanha.
Na semana passada,  Castelo se resumiu à gravações de programas de programas eleitgorais e reuniões com lideranças, esperando aliança com alguns dos candidatos que não passaram para o 2º turno.
Não conseguiu nenhum.
No final de semana, vieram as pesquisas que mostaram uma dianteira de até 20 pontos percentuais do deputado federal Edivaldo Holanda Júnior (PTC).
Uma caminhada na região da Cidade Operária, sábado, não contou com a presença do candidato. Ele também não foi visto na carreata que passou no início da tarde de ontem pela Avenida Litorânea.
Ontem, sua assessoria encaminhou imagem dele e dos aliados em uma caminhada pelo bairro João de Deus.
O prefeito promete para hoje o início oficial de sua campanha.
Em busca de um milagre para reverter a vatangem pró-Holandinha…
2º TurnoEleições 2012

Holandistas já cogitam não-participação em debates…

O resultado das pesquisas divulgadas ontem, com índices entre 17 e 20 pontos de vantagem de Edivaldo Holanda Júnior (PTC) sobre o prefeito João Castelo (PSDB), levantou a possibilidade de Holandinha não participar dos debates entre os candidatos, programados para o 2º turno.
O blog ouviu três membros da coordenação de campanha do candidato e todos apontaram ser um risco a participação dele em qualquer debate – inclusive o da Mirante.
O raciocínio dos holandistas é o seguinte: o debate só interessa a Castelo, que está muito atrás nas pesquisas e vai tentar bombardear Holanda Júnior.
Além do da Mirante, estão previstos debates na TV Cidade e na TV Difusora…
2º TurnoEleições 2012

Eliziane dará entrevista à tarde; e com posição bombástica…

Eliziane: posicionamento terá a ver com 2014
A deputada Eliziane Gama (PPS) deverá conceder entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira.
Só falta definir o local em que ela se posicionará oficialmente sobre o 2º turno das eleições em São Luís.
Há possibilidade de o posicionamento da parlamentar ser diferente do que foi especulado no final de semana – inclusive neste blog.
Eliziane se baseia em números de pesquisas que mostram a tendência dos eleitores que votaram nela no 1º turno e nas conversas com lideranças políticas que a acompanham.
E sua decisão terá reflexos também nas eleições estaduais de 2014.
É aguardar e conferir…

Série: Conselho de Deus #1 (lista de reprodução)

"Dou mais valor ao nome do que a vida, pois a vida acaba e o nome continua servindo de exemplo": "Dou mais valor ao nome do que a vida, pois a vida...

"Dou mais valor ao nome do que a vida, pois a vida acaba e o nome continua servindo de exemplo": "Dou mais valor ao nome do que a vida, pois a vida...: "Dou mais valor ao nome do que a vida, pois a vida acaba e o nome continua servindo de exemplo": "Dou mais valor ao nome do que a vida, pois...

"Dou mais valor ao nome do que a vida, pois a vida acaba e o nome continua servindo de exemplo": "Dou mais valor ao nome do que a vida, pois a vida...

"Dou mais valor ao nome do que a vida, pois a vida acaba e o nome continua servindo de exemplo": "Dou mais valor ao nome do que a vida, pois a vida...: "Dou mais valor ao nome do que a vida, pois a vida acaba e o nome continua servindo de exemplo": AS VEZES PERDEMOS O QUE MAIS AMAMOS!

"Dou mais valor ao nome do que a vida, pois a vida acaba e o nome continua servindo de exemplo": AS VEZES PERDEMOS O QUE MAIS AMAMOS!

"Dou mais valor ao nome do que a vida, pois a vida acaba e o nome continua servindo de exemplo": AS VEZES PERDEMOS O QUE MAIS AMAMOS!

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

SEMPRE DE PÉ


UM MALUCO LEGAL UM DIA ME FALOU

A LUTA CONTINUA




 Porque as pessoas são egoístas aponto de não aceitarem uma derrota; sei que dói, porém é uma forma de aprendermos que nada é pra sempre, porém temos que aproveitar as quedas e as decepções para aprender com ela, pois o futuro nos guarda muitas surpresas, todavia deveremos estar preparados para que com nossas quedas e decepções, os nossos possam aprender para não sofrerem no futuro e para se prevenir para não passarem pelas mesmas decepções e procurarem contornar e não se deixar envolver por coisas pequenas a ponto de sermos questionados e não podermos responder; É preciso aprender com os erros e esperar em Deus e tudo se resolvera.
Hoje é só agradecimento, boas recordações e a consciência tranquila do dever cumprido, porém se alguém faltou com compromisso tenho certeza que não fui eu por isto obrigado a todos o trabalho continua, o governo continua, e de resto só esperarem, decisões serão tomadas e o futuro a Deus pertence; Todavia o mundo não acabou e nossas esperanças também não, por isto adelante!

SÓ DEUS PODE ME JULGAR

FELIZ DIA DAS CRIANÇAS


quarta-feira, 10 de outubro de 2012

CONTINUO MUITO IMPORTANTE; OBRIGADO!




Mensagens
Ações
Procurar esta conversa
Márcia Bacelar

Márcia Bacelar
há ± 1 hora
Márcia Bacelar

Ah, Ah, Ah, Não te avisei meu queriiiiiiddddooooo..... O teu reizinho não conseguiu realizar o sonho dele que era nos destruir e saímos de 8.000 votos para mais de 10.000 isso significa seu idiota que existem mais de 10.000 pessoas insatisfeitas com o desgoverno dele......ah e para
béns pra você ... e nem inventa de me procurar..... pede lá um emprego pra ele em 2013 ta bom....


 RESPOSTA:

Como chegou no face, faz de conta que é comigo, porém eu precisei de mais de 20 anos para ver com quem realmente convivi, e não conhecia, todavia acredito que derrotado não fui eu, e sim aquela que foi humilhada, difamada, e teve que se submeter e descer ao nível que jamais imaginaríamos, e hoje o povo como eu sabe com quem estava esta lhe dando, so tenho a lamentar, porém continuo o mesmo, fiel a meu povo e continuarei fiel a meu Deus que nunca me faltou, e que não precisa se preocupar que nunca precisei de emprego.(lembre de uma frase sua; O VAL, sempre se supera e levanta da cinzas), sou tão importante que usou seu tempo para tentar me atingir, todavia esqueceu de lembrar que cresci, e por isto não enfrento esta como derrota, apenas um adiamento para a reaaaal vitória e terão que me enfrentar como candidato do povo; então veremos de quem é a vitória: de Deus, ou do inimigo? Só lamento! xuá xua!!!!!!!!!
Uma pergunta que não quer calar? O Américo elegeu o candidato dele= Osmar; O Magno elegeu a candidata dele= Cristiane, O Cruz elegeu o candidato dele= Rafael, E a Marciaaaa... qual é o seu mesmo? Será que quem perdeu foi eu? Agora pelo menos aprenda a fazer contas, em 2008 você teve 5.500 votos, o Magno 4.500=10.000, parabéns, o grupo cresceu muito, aumentaram os 300 votos do Américo, parabéns o pense num crescimento.... coé, coé, coé...